Pesquisar

Autenticação






Esqueceu a senha?
Sem conta? Criar Conta!
Bicho da seda PDF Imprimir e-mail

 

Ciclo do bicho da seda

Acasalamento

Acasalamento

 

Alimentação das Larvas

Alimentação das Larvas

 

Larvas c/ 20 dias

Larvas c/ 20 dias de vida

 

Larvas adultas c/ 40 dias

Larvas adultas c/ 40 dias

 

Fabrico do casulo

Fabrico do casulo

 

 Giesta c/ casulos

 Giesta c/ casulos

 

 Giesta c/ casulos

Larva  interior do casulo

Quando nascem do ovo as larvas do bicho da seda medem apenas pouco mais de um milímetro, tendo de ser alimentadas em tabuleiros de madeira onde se colocam as folhas de amoreira, que são o seu exclusivo alimento. À medida que vai crescendo, a lagarta passa por quatro mudas ou fases de crescimento e nesse período consideram-se cinco idades, que duram normalmente cinco dias cada.

 

As condições ambientais, tais como a temperatura, a humidade, o local onde se encontram colocados os tabuleiros e o arejamento, bem como cuidados de higiene e alimentação em abundância, são factores fundamentais para que a criação se faça sem sobressaltos e se torne produtiva. As lagartas necessitam de comer três vezes por dia, todos os dias. As folhas de amoreira devem ser substituídas por outras novas, não podendo estar molhadas quando se distribuem pelos tabuleiros. A camada de folhas deve ser substituída com regularidade durante as mudas e a limpeza dos tabuleiros deve ser feita com frequência de forma a retirar os excrementos e outra sujidade que pode pôr em perigo a criação do bicho da seda.

A temperatura e a humidade são importantíssimas e na 4.ª e 5.ª idade deve variar entre os 22º e 24º C a primeira e os 70% a 75% a segunda, dado que as lagartas nesta fase são sensíveis a variações superiores.

 

Ao atingir a fase adulta, a lagarta, que era até à 5.ª idade uma voraz devoradora de folha, passa a comer menos até deixar de se alimentar por completo. Nesta fase necessita de ser apoiada para que possa construir o seu casulo. Para isso colocam-se estrategicamente ramos de arçãs onde a larva encontra suporte para se instalar. Antes de se iniciar a sua clausura, a lagarta esvazia as entranhas de líquidos e impurezas e então, segregando uma baba (substância filamentosa e brilhante) faz o fabrico do casulo. Ao finalizar este trabalho, a lagarta fica encerrada dentro desse invólucro, que tem paredes isotérmicas e é muito resistente. No seu interior, a lagarta desenvolve metamorfoses transformando-se num insecto perfeito depois de passar pela fase de Ninfa ou Crisálida.

 

Ao fim de 15 dias, após se dar a mutação dos órgãos da lagarta, surge uma borboleta (insecto na fase completa). A borboleta segrega um líquido que lhe permitirá a saída do casulo. Já no exterior, a borboleta macho e a borboleta fêmea acasalam durante um período que pode demorar dias. A fêmea faz em seguida a postura dos ovos, que servirão para o ano seguinte, assegurando assim a preservação da espécie. Durante a sua vida curta, a borboleta não se alimenta, procurando apenas reproduzir-se pondo 400 a 500 ovos.

 

Sericicultura ou sericultura

Em sericicultura, para produzir seda de boa qualidade não se pode permitir que a borboleta se evada do casulo, excepto quando, com já se referiu, se pretende obter ovos para assegurar a produção de bicho da seda para o ano seguinte. Isto porque, caso a borboleta saia do invólucro, está-se a sacrificar a qualidade da seda, dado que o casulo fica perfurado não se produzindo assim um fio de seda contínuo. Contudo, estes casulos são aproveitados para seda de segunda qualidade. De acordo com esta exposição, antes de o insecto sair do casulo, terá que se sujeitar este a altas temperaturas para que a borboleta que se encontra no seu interior morra, obtendo-se assim um casulo perfeito e produzindo-se seda de primeira qualidade. Terminada esta operação, os casulos são recolhidos em embalagens e armazenados até passarem por outra fase, que é a fase da extracção da seda.

 

É de salientar que a criação do bicho da seda desde que nasce até que se converte em borboleta demora cerca de dois meses.