Pesquisar

Autenticação






Esqueceu a senha?
Sem conta? Criar Conta!
Freguesia de Ligares PDF Imprimir e-mail

Brasão

 

Presidente da Junta: José Manuel Bento Pereira

Área: 4.691 ha
Habitantes: 640
Distância à sede concelho: 21 Km

 

Ligares é uma freguesia do concelho de Freixo de Espada à Cinta, donde dista cerca de 21 quilómetros da sede de concelho. Situa-se na margem esquerda de uma ribeira que é afluente da margem direita do rio Douro.

É uma aldeia bastante populosa, no cimo de uma alargada encosta, abrigada pelo Monte de Santa Bárbara, e cujas raízes se perdem no tempo.
Trata-se de uma freguesia antiga, dado que nas Inquirições de 1258 e no Foral de Freixo de Espada à Cinta de 1 de Outubro de 1512 vem com a escrita de “ILGUARES”, passando a ter dois Jurados. Em 1271 o escrivão da Câmara usou o termo “ILIGARDES” e em 1758 nas Memórias Paroquiais aparece a palavra “ILLEGARDES”.
Foi uma aldeia de apresentação de mitra. Em 1236, quando é suprimido o concelho de Urros, passou a integrar o de Freixo. Em 1866 passou a ter escola primária que é referenciada depois em 1872. Pertenceu ao concelho de Torre de Moncorvo de 1896 a 1898, enquanto durou a supressão do de Freixo.
A agricultura é a sua principal actividade económica: as suas encostas, montes e vales produzem vinho generoso e de mesa, amêndoa e azeite em abundância. Os pomares de laranjeiras também são de referir, bem como a apicultura e alguma pecuária.
Nos momentos de lazer as suas gentes costumam juntar-se nas soleiras das portas na rua principal que atravessa longitudinalmente a povoação e os homens jogam à sueca nos cafés da aldeia.
Como pontos de interesse, além das suas típicas habitações, ora em granito ora em xisto, com algumas casas solarengas, podemos admirar as Capelas da Sr.ª da Conceição, do Divino Espírito Santo ou da Sr.ª das Dores. A Capela da Santa Cruz encontra-se no mesmo largo da Sede da Junta de Freguesia, ao fundo da povoação.
Cheia de tipicíssimo e tradição é a festa de Santa Bárbara, que decorre em Agosto. A procissão decorre levando a imagem de Santa Bárbara da Igreja Matriz até à sua capelinha no Monte Salgueiro. É uma manifestação religiosa de características raras nos dias de hoje, com imensa gente palmilhando uma grande distância, rezando orações de penitência, sempre subindo a encosta a pique. Alguns devotos transportam sacos de centeio, cevada ou trigo à cabeça como promessa. Chegando à capela de Santa Bárbara tem lugar o sermão ao qual assistem todos atentos e devotos. Neste local vislumbra-se uma paisagem bucólica, é possível avistar a Barragem do Azoio que abastece de água a aldeia. Para findar a manifestação religiosa, o gado que propositadamente foi levado para aquele local, dá três voltas à capela, e no fim, cada rebanho deixa uma ovelha que é oferecida pelo pastor a Santa Bárbara para ser leiloada, mantendo-se esta tradição há gerações e gerações!
Uma curiosidade local é a presença da Igreja Evangélica de Ligares, com um edifício próprio datado da década de 1920. Foi uma criação do Padre João Manuel Gonçalves que tinha sido missionário no Oriente.
Ligares possui um Centro de Dia que presta apoio social, em especial aos idosos.
Dentro das suas montanhas e terrenos pode-se apontar o Monte dos Eirados, a Lameira, o Lombo do vale de Cibados, o Vale de Asne, a Serra de Urros, o Ribeiro do Arroio, o Gamoal, o Sobranhal, a Quinta de Santiago e outros nomes que caracterizam os terrenos do seu termo.
O pai de Guerra Junqueiro era de Ligares. A própria Quinta da Batoca que pertenceu ao poeta e agora propriedade da Fundação Maria Isabel Guerra Junqueiro, fica no seu termo.

 

 

 

Contactos:

Junta de Freguesia de Ligares
Largo de Santa Cruz
5180-301 Freixo de Espada à Cinta
  279 669 268
  279 669 268