Pesquisar

Autenticação






Esqueceu a senha?
Sem conta? Criar Conta!
Heráldica PDF Imprimir e-mail

 

 Chamemos à atenção que durante mais de quatrocentos anos e até 1935, a Pedra de Armas e Bandeira foram outros. Com toda a certeza aqueles que se encontram espalhados por alguns monumentos da Vila como no Pelourinho, na Torre, na antiga casa da Câmara, hoje Biblioteca Municipal e mesmo no chafariz das Hortas, ou seja, um freixo com uma espada atravessada, como que à cinta.

 

E, para justificarmos esta afirmação podemos socorrer-nos de uma Acta de 25 de Outubro de 1939 onde se afirma que o Director – Conservador do Museu do Abade de Baçal, em Bragança, enviou um ofício pedindo a esta Câmara Municipal o aumento da dotação orçamental para o ano de 1940, uma vez que era necessário fazer frente às “grandes despesas” com a aquisição de vitrinas “para a colocação do antigo estandarte e do foral desta Vila...”. Desta forma podemos concluir que este “antigo estandarte” que actualmente deverá estar no Museu Abade de Baçal, é sem qualquer espécie de dúvida a antiga bandeira do Município de Freixo de Espada à Cinta.

 

Nunca é demais salientar que qualquer brasão municipal tem como primordial objectivo facilitar a identificação de determinado Concelho realçando os seus aspectos mais particulares de uma forma simples mas eficaz, para que num rápido olhar se identifique quase de imediato a terra da sua proveniência. Funcionam praticamente como o Bilhete de Identidade de uma determinada região já que representam para cada município como que o símbolo do direito local sobre a propriedade do território que o compõe, juntamente com a jurisdição que lhe advém das antigas cartas de foral.
Assim, como para a Heráldica a árvore é considerada um símbolo da força e do poder, cada espécie possui um significado próprio. Por exemplo e como esta espécie nos diz directamente respeito, apresenta o Freixo como símbolo da superioridade absoluta.


Por outro lado os esmaltes, de metal (ouro e prata) e de cores (azul, negro, púrpura, e verde) adquirem também certo significado quando interpretada de forma correcta, porque cada uma transmite a sua mensagem.
Após esta sucinta resenha interpretemos então a Heráldica do nosso Município:

 

Brasão de Armas

 

De púrpura (Temperança, Riqueza e Abundância) com um freixo (símbolo da superioridade absoluta) de ouro (Fidelidade, Constância, Poder e Liberdade) realçado de verde (Esperança, Gentileza e Fé), firmado no pé do escudo, acompanhado no tronco por duas espadas de ouro e por dois escudetes (a azul que simbolizam o Zelo e a Lealdade) das quinas antigas de Portugal. Coroa mural de prata (Humildade e Riqueza) de quatro torres. Listel branco (Pureza, Sinceridade e Caridade) com os dizeres «Vila de Freixo de Espada à Cinta» de negro (Firmeza, Obediência, Honestidade e Cortesia).

 

Brasão de Armas

 

Bandeira

 

De amarelo, cordões e borlas de ouro e púrpura. Haste e lança de ouro.

Como as peças principais das armas são de ouro, a bandeira é amarela que é a cor correspondente ao ouro. Para cortejos e cerimónias a bandeira é de seda bordada, tendo a área de um metro quadrado.

 

Bandeira de FEC

Bandeira de FEC


Bandeira

para hastear em edifícios (2x3)

 

Estandarte

para cerimónias e cortejos (1x1)

 

 

Selo

 

Circular, tendo ao centro as peças de armas sem indicação dos esmaltes e em volta, dentro de circular concêntricos os dizeres «Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta».

 

 

 

Pelo que acabamos de expor, creio que todos ficamos com uma ideia mais esclarecida daquilo que significa o nosso Brasão de Armas, mas, para que esta resenha fique completa não podemos deixar de transcrever a frase que finaliza o relatório de Afonso Dornellas, que é como se segue:    
      
9 de Janeiro (1935)
      “...O campo das armas é de púrpura por este esmalte na heráldica simbolizar a nobreza e representar os supremos valores. O freixo e as espadas são de ouro por este metal significar a fidelidade, a constância, o poder e a liberdade.
      É realçado o freixo de verde, esmalte que significa a esperança e a fé. As quinas são das suas cores. O azul simboliza a lealdade.
      E assim o notável valor histórico da Vila e as características dos seus naturais, ficam bem representados nas suas armas e bandeira...”.